terça-feira, 27 de novembro de 2012

"Envelhecer muda a gente por dentro".

Liv Ullmann - Cannes 2001


Liv Ullmann está vindo para o Brasil no início de dezembro. Quem gosta de cinema sabe que ela participou de vários filmes de Ingmar Bergman, além de ter sido casada com ele durante cinco anos e de terem  uma filha, Linn. 
Alguns dos filmes estrelados por Liv Ullmann  eu só fui assistir na década de oitenta, no auge dos meus tempos de faculdade. Sair do cinema e ir prum bar com os amigos e amigas 'cabeçoides' (psuedo-intelectuais) era um dos meus programas preferidos. Filmes como Cenas de um casamento (1973) e  Gritos e Sussurros (1973) ficaram na minha memória e, se fechar agora os olhos quase posso rever algumas cenas. Bons e divertidos tempos. 

Liv Ullman & Bergman (1968)

Agora a nossa musa está chegando ao Brasil para a estreia do documentário "Liv & Ingmar" Uma história de amor, de Dheeraj Akolkar, que mostra as tormentas e calmarias na relação de 42 anos entre o cineasta e a atriz, com que ele fez seu último trabalho. Lendo AQUI e ALI entendi que o documentário descreve o encontro entre Liv Ullmann (uma jovem com apenas 25 anos e  uma atriz no começo da carreira) e Ingmar Bergman um homem de 46 anos e já considerado um dos maiores cineastas vivos de seu tempo. Ele a convidou para trabalhar num filme chamado Persona e a partir daí eles nunca mais se separaram. Bergman dirigiu Liv em doze filmes e eles formaram uma parceria muito rica para a história do cinema. Apesar de terem vivido como casal por apenas cinco anos, eles continuaram trabalhando juntos e vivendo uma longa relação de 42 anos, passando a vida "dolorosamente conectados" como disse Bergman.
Para o lançamento do documentário Liv Ullman deu uma entrevista para O Globo A Mais que você pode ler na íntegra AQUI e falou sobre amor, cinema e velhice. Hoje aos 73 anos, continua uma mulher bonita, que não fez retoques e que não usa botox. 
A entrevista tem momentos de desconcertante sinceridade sobre o envelhecer e sobre os desgastes do tempo provocados no corpo: "Minha face não tem retoques. Sou o que sou". 
Em um outro trecho falando sobre o documentário "Liv & Bergman" ela conta que ali estão recordações de um tempo em que viveram juntos, os momentos em que mesmo separados andavam de mãos dadas: "Lembro da mão dele na minha porque a gente nunca deixou de se amar, mesmo ficando apenas amigos. Ele era um homem de quem o mundo lembra de alguém que encarava conflitos da alma. Para mim, ele era esse mesmo homem, só que capaz de me proporcionar momentos felizes". Lindo, não é?

Leia também:

terça-feira, 20 de novembro de 2012

"Estou muito velho e a única coisa que me importa é ser feliz”

Vovô posa cheio de estilo para catálogo de loja (Foto: Divulgação)
Idoso veste diferentes combinações de roupas (Foto: Divulgação)


Acabo de ver essa notícia e não ia deixar escapar, claro! Lembrei de Laerte que há algum tempo se veste com o que se convencionou chamar de "roupas de mulher", quando diz que desde 2004 já sentia esse desejo: "Vontade de frequentar a área cultural do outro gênero, o reservado das mulheres."




Pará Diversidade


A entrevista sobre o senhor Liu Xianping me fez lembrar de Laerte, porque trata-se de uma pessoa "enquadrada" socialmente como homem que decidiu usar as roupas que são consideradas de mulheres.
Lembrei também da querida Luisa Stern militante do movimento pelos direitos das pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros, fundadora da comunidade e do site Cultura Cross Dresser, que aborda assuntos referentes às pessoas Trans. Se você quiser saber mais sobre isso, visite esse site.

Voltando para o chinês Liu Xianping, segundo a matéria de Thiago Barros, este senhor de 72 anos virou febre na internet depois que suas fotos no catálogo da empresa passaram a ser compartilhadas cada vez mais nas redes sociais da China, especialmente no site Sina Weibo, "que é o equivalente ao TWITTER no país. Agora, Liu Xianping está também conhecido no mundo todo.

Segundo a reportagem, a loja foi fundada por cinco jovens recém-formados na China e uma das jovens é exatamente a neta do Liu Xianping, que resolveu vestir as peças da coleção e checar as combinações. Deu certo. O velhinho chinês é fashion e virou a sensação da internet. A matéria diz ainda, que as vendas da loja aumentaram depois que o catálogo com as fotos do garoto-propaganda caíram no gosto da população chinesa. E olha só, o que nos diz Xianping:
"Por que seria inaceitável para alguém como eu vestir roupas de mulheres? Fazer isso está ajudando a minha neta e eu não tenho nada a perder. Estávamos muito felizes no dia das fotografias. Estou muito velho e a única coisa que me importa é ser feliz".
Que bom, Xianping! Que lição maravilhosa você nos dá! De qualquer forma, o ideal é que as pessoas não precisem esperar tanto para chegar a essa conclusão: o que importa é ser feliz! E ser feliz desde agora, desde sempre.

Leia mais:
Entrevista com Laerte e Angeli
Cultura Crossdresser


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

E a vida? É bonita, é bonita e é bonita!


Hoje vamos de poesia, porque a vida é bonita, é bonita e é bonita, como já dizia o poeta Gonzaguinha.
Imagem: Google









Vivendo e Aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Vivendo e aprendendo a jogar
Nem sempre ganhando, nem sempre perdendo
Mas aprendendo a jogar
Água mole em pedra dura
Mais vale que dois voando
Se eu nascesse assim pra lua
Não estaria trabalhando
Mas em casa de ferreiro
Quem com ferro se fere é bobo
Cria fama, deita na cama
Quero ver o berreiro na hora do lobo
Quem tem amigo cachorro
Quer sarna pra se coçar
Boca fechada não entra besouro
Macaco que muito pula, quer dançar

domingo, 14 de outubro de 2012

Elas falam sobre envelhecer

Casualmente me deparei com a conversa entre Luiza e Yasmin Brunet. As duas falam sobre beleza e  envelhecimento. É um papo breve mas tem tudo a ver com o nosso blog. Confira.
A conversa esta na revista TPM e no youtube.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

"Velha é a estrada", já dizia minha avó.

Essa semana os meios de comunicação nos bombardearam com notícias sobre a população idosa. Tudo isso porque no dia 01 de outubro comemora-se o dia da pessoa idosa. Aí já viu, né?
O Dia Nacional do Idoso foi instituído inicialmente no dia 27 de setembro de 1999 pela Comissão de Educação do Senado Federal e, desde o princípio teve como objetivo refletir, chamar a atenção sobre a situação da pessoa idosa no país, seus problemas e dificuldades. 
Com a lei nº 11.433 de 28 de Dezembro de 2006 que cria o Estatuto do Idoso, a data passou a ser celebrada no dia 01 de outubro.


Imagem: Google
Segundo relatório de uma agência ligada à Organização das Nações Unidas e publicado na BBCBrasil no dia 01/10 próximo passado, "Em 2050, os idosos chegarão a dois bilhões de pessoas - ou 25% da população mundial. O documento do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês) faz previsões sobre o perfil demográfico global e reflete o aumento da expectativa de vida em diversos países do mundo".

Ainda segundo o relatório, o crescimento da população idosa será mais perceptível principalmente nos países chamados emergentes. "Hoje cerca de 66% da população acima de 60 anos vivem em países em desenvolvimento. Em 2050, essa proporção subirá para quase 80%".

A matéria destaca como algo positivo e "motivo de celebração" o aumento da expectativa de vida no planeta, mas aponta alguns riscos econômicos do envelhecimento da população. Isso porque é preciso desde já, desenvolver políticas públicas para essa população e também se preparar para atender às necessidades das pessoas idosas. Fico pensando que isso envolve desde políticas de saúde geriátrica, até questões mais estruturais como mobilidade, lazer, centros de convivência entre outros. 

O relatório diz que no Brasil "a previsão é que o número de idosos triplique de hoje até 2050 - passando de 21 milhões para 64 milhões. Por essas previsões, a proporção de pessoas mais velhas no total da população brasileira passaria de 10% em 2012, para 29%, em 2050".


Imagem: google

A matéria da BBC diz ainda, que o relatório destaca os mitos e preconceitos vividos pela população idosa como um problema a ser superado. "Apesar de 47% dos homens idosos e 24% das mulheres idosas participarem do mercado de trabalho, as pessoas mais velhas continuam sendo vítimas de discriminação, abusos e violência em diversas sociedades. O documento traz depoimentos de 1,3 mil idosos em 36 países do mundo, inclusive do Brasil".

Como já falamos aqui e aqui no blog, há toda sorte de preconceito também em relação à sexualidade das pessoas idosas, como se sexo e prazer estivessem fora de cogitação para quem está na Terceira Idade. Já sabemos, isso é mais um dos mitos que envolve a população idosa. Ainda bem.

Leia mais:
Em 50 anos, população mais que dobra no Brasil
População idosa no Brasil cresce e diminui número de jovens, revela o Censo

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Alma











Alma!
Deixa eu ver sua alma
A epiderme da alma
Superfície!
Alma!
Deixa eu tocar sua alma
Com a superfície da palma
Da minha mão
Superfície!...
Easy! Fique bem easy
Fique sem, nem razão
Da superfície!
Livre! Fique sim, livre
Fique bem, com razão ou não
Aterrize!...
Alma!
Isso do medo se acalma
Isso de sede se aplaca
Todo pesar não existe
Alma!
Como um reflexo na água
Sobre a última camada
Que fica na
Superfície!...
Crise!
Já acabou, livre
Já passou o meu temor
Do seu medo sem motivo
Riso, de manhã, riso
De neném a água já molhou
A superfície!...
Alma!
Daqui do lado de fora
Nenhuma forma de trauma
Sobrevive!
Abra a sua válvula agora
A sua cápsula alma
Flutua na
Superfície!...
Lisa, que me alisa
Seu suor, o sal que sai do sol
Da superfície!
Simples, devagar, simples
Bem de leve
A alma já pousou
Na superfície!...
Alma!
Daqui do lado de fora
Nenhuma forma de trauma
Sobrevive!
Abra a sua válvula agora
A sua cápsula alma
Flutua na
Superfície!...
Lisa, que me alisa
Seu suor, o sal que sai do sol
Da superfície!
Simples, devagar, simples
Bem de leve
A alma já pousou
Na superfície!...
Alma!
Deixa eu ver sua alma
A epiderme da alma
Superfície!
Alma!
Deixa eu tocar sua alma
Com a superfície da palma
Da minha mão
Superfície!...
Alma!
Deixa eu ver!
Deixa eu tocar!
Alma! Alma!
Deixa eu ver!
Deixa eu tocar!
Alma! Alma!
Música de Pepeu Gomes, aqui na voz de Zélia Duncan.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Feliz aniversário, Mick!

Mick Jagger - Foto: Google

Sir Mick Jagger nasceu no dia 26 de julho de 1943. O vocalista dos Rollings Stones completa hoje 69 anos. Jornais do mundo inteiro estão noticiando a idade nova do velhinho roqueiro. 
Sir Mick Jagger, nascido Michael Philip Jagger, é uma das figuras mais importantes da história do rock. Uma das vozes mais poderosas da música, Jagger continua na ativa com o "Rolling Stones" com a mesma energia e carisma que o consagraram na década de 1960, quando era considerado um ícone de sua geração. Jagger era o astro favorito da maioria dos jovens que viveram na revolução cultural de sua época, seja pelo comportamento ousado no palco, sua marca-registrada, ou pela quantidade de vezes que sua vida pessoal era notícia nos jornais britânicos. 
Mick Jagger - TopNews.In


Muitas notícias reforçam o seu passado de escândalos sexuais e  a sua lista de conquistas amorosas, como já era de se esperar de uma sociedade machista e sexista. Não é o que faremos. A proposta do post é realçar que envelhecer faz parte da vida das pessoas e que a idade não é necessariamente um limite para se viver bem. O vocalista está há 9 anos na  chamada "Terceira Idade" -  embora a geriatria considere  que somente aos 75 anos uma pessoa alcança essa fase da vida. Lidar com a passagem do tempo e os sinais de envelhecimento não é fácil para a maioria das pessoas.Cremes, dietas, botox,  ácido retinoico, preenchedores, cirurgias plásticas, silicone e maquiagens de resultado imediato são algumas das alternativas estéticas apresentadas para conter o envelhecimento, como na reportagem da Revista Marie Claire, O Feitiço do Tempo - quantos anos você me dá?. Parar o tempo é um desafio possível, dizem alguns comerciais de produtos de beleza e anti-rugas. Será mesmo? Pessoas com expressão facial enrijecida, sorrisos plastificados e sonhando  ter vinte, trinta anos a menos do que a sua idade real. Bom, eu ainda prefiro olhar para o meu rosto no espelho e me reconhecer nele. Feliz aniversário, Mick Jagger. Muitos e saudáveis anos de vida!

video
Leia também:

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Me deixa gozar, me deixa gozar

Jane Fonda (Imagem: Google)
Jane Fonda está com 74 anos e em seu quarto matrimônio. A atriz, escritora e ativista política falou em entrevista sobre o atual momento em sua vida, relatando alguns detalhes sobre o seu casamento com o produtor musical, Richard Perry, de 70 anos. 
Segundo a matéria, Jane Fonda conta que o seu atual companheiro lhe dá coisas que nenhum outro lhe deu, como você pode ver no link: Jane Fonda diz que só agora sua vida sexual é satisfatória.
Em um trecho da matéria ela diz: 
"A única coisa que nunca conheci é a verdadeira intimidade com um homem. Queria muito ter essa experiência antes de morrer. Isso aconteceu com Richard. Me sinto totalmente segura com ele. Muitas vezes quando fazemos amor, eu o vejo como se fosse 30 anos atrás."

Supondo que Jane Fonda esteja falando sobre o fato de somente nesse casamento conseguir ter orgasmo, embora algumas pessoas achem absurdo que a essa altura do campeonato uma mulher fale publicamente sobre a sua própria dificuldade em chegar ao clímax numa relação sexual, isso é muito mais frequente de acontecer do que se possa imaginar.

Mas, vamos combinar, a dificuldade em ter orgasmo não é uma prerrogativa exclusiva das mulheres. Qualquer ser humano pode ter a chamada anorgasmia, que é a dificuldade para ter orgasmo ou mesmo não ter orgasmo.

Adão Iturrusgarai
Marie Claire - Amor e Sexo

Um estudo realizado em 2009 pelo departamento de psicologia da Universidade do Kansas, nos Estados Unidos mostrou que 25% dos 180 jovens entrevistados já tinham fingido gozar pelo menos uma vez na vida, conforme matéria de Juliana Vilas na revista Marie Claire (17/03/2010) intitulada Quando eles fingem - por que alguns homens têm hoje o hábito de simular um orgasmo. Segundo os coordenadores da pesquisa, "entre os aliados masculinos na interpretação do clímax, o mais comum é o uso do preservativo. Afinal poucas mulheres se dão ao trabalho de checar o conteúdo da camisinha assim que a transa termina". OK. Mas será que alguém ia lá checar, conferir, investigar se a camisinha tem ou não sêmen?
Segundo a enciclopédia livre, sêmen é o "fluido orgânico produzido pelos machos de muitas espécies animais para transportar os espermatozoides até o local de fertilização da fêmea". E é claro que essa definição está bem ultrapassada, uma vez que mulheres também podem ter sêmen e homens podem não tê-los. Como assim? Vejamos:

Homem grávido se separa da esposa


Cartunista Laerte anuncia que agora não é homem nem mulher
  
Léa T volta às passarelas após mudança de sexo
Novos tempos, novas configurações. E, voltando ao tal do orgasmo que foi onde começou a nossa conversa, o que eu acho o fim são os tantos manuais, cartilhas de auto-ajuda e passo-a-passo para 'chegar lá'. Também é terrível a 'ditadura do gozo', que acaba deixando as pessoas enlouquecidas em busca do prazer máximo sexual. Gozar é tudo de bom. Sozinha ou acompanhada. Mas não pode ser uma imposição na vida de ninguém.  

Diário Catarinense
Leia mais:
"A caçadora de orgasmo"
Os desafios do prazer
Não ter orgasmo é sinal de frigidez?
Orgasmo: como chegar lá, sozinha ou acompanhada
Homens também fingem orgasmos: entenda por que eles fazem isso
Todo mundo finge orgasmo
Homens também podem ter dificuldade de atingir o orgasmo

domingo, 1 de julho de 2012

Melhoras à atriz Sylvia Kristel



 
Na semana passada vi uma notícia, na verdade quase uma notinha perdida no jornal, sobre a atriz Sylvia Kristel, que ficou conhecida nos anos setenta por ter sido protagonista no filme erótico, Emmanuelle. 
A atriz sofreu um derrame cerebral na quinta-feira (28/06) e permanece hospitalizada em Amsterdã. Quem é da minha geração deve lembrar o furor que esse filme causou quando foi lançado. No Brasil, se não me falha a memória, precisava da carteira de identidade para comprovar ser maior de 18 anos para poder entrar no cinema. Considerado avançado demais para os padrões da época, o filme tornou-se um clássico.
Eu nem lembrava mais detalhes sobre o filme, já que vi à época em que começou a fazer sucesso no Brasil. No filme, uma modelo de nome Emmanuelle (vivida por Sylvia Kristel), vai de Paris a Bangcoc para encontrar o marido Jean (Daniel Sarky), um diplomata  que é também mais velho que ela. Ambos têm relações extraconjugais e Jean incentiva Emmanuelle a viver experiências eróticas, como até então ela nunca tinha vivido.  
Sylvia Kristel (Imagem: Google)
O filme é mesmo bem avançado para os padrões da época e inclui cenas de violência sexual, como estupro, relações sexuais entre mulheres, masturbação e, uma cena de pompoarismo, onde uma dançarina fuma um cigarro com a vagina. 
Fiquei com muita vontade de rever o filme. Fiquei imaginando o que deve ter sido, o tanto de confusão que causou e o que essa atriz deve ter vivido. Sexo explícito. Relacionamento aberto. Sexo entre mulheres. Não tenho lembranças da repercussão, era muito jovem e não guardei detalhes na memória. Melhoras à atriz Sylvia Kristel.
Sylvia Kristel (imagem: google)







Veja também:
Trilha sonora do filme Emanuelle
Folha de São Paulo

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Madonna. Maravilhosa

Madonna


Hoje vi uma matéria sobre Madonna que é no mínimo ridícula. A manchete diz "Após seio e bumbum Madonna exibe rugas durante ensaio".  Demorei pra entender o que é exatamente "exibir" as rugas. Rosto sem maquiagem, continua o texto. Visual bem mais relaxado, segue a reportagem. 
pop star continua maravilhosa aos 53 anos, como você pode ver AQUI. As fotos mostram a cantora passando o som no estádio olímpico de Roma, na Itália, para o show que aconteceu na quarta-feira  (13/06). 
Eu fui atrás de outras matérias sobre o ensaio que Madonna fez para essa apresentação. Uma ou outra reportagem comenta também sobre a turnê que a cantora faz para divulgar o álbum MDNA, como essa aqui. No mais, o comentário geral é mesmo sobre "os sinais da idade"
É inevitável. Quem está vivo, envelhece. O tempo passa para todas as pessoas e a velhice é inexorável. 
E qual é mesmo o problema em exibir - como diz a maioria das reportagens - os sinais do tempo? 
Por que temos que esconder, maquiar, plastificar as nossas rugas? Por que teimar em empurrar a velhice sempre cada vez mais para a frente? Retardar o envelhecimento do rosto e do corpo, numa frenética alternância de aplicação de botox, plásticas e infinidades de cremes pode ser um sofrimento permanente. 
Da mesma forma que a Madonna, na maioria das vezes eu exibo as minhas rugas e deixo que os sinais do tempo revelem a minha idade.
Envelhecer é um processo natural. Faz parte da vida. Mesmo que para a maioria das pessoas seja um processo cruel e doloroso. 

domingo, 10 de junho de 2012

Minha vida é andar por esse país...

Logo me chamou a atenção a manchete da folha.com de hoje, caderno Mercado: "Cresce potencial de consumo dos idosos". Já sabemos que a população brasileira está vivendo mais, que estamos nos tornando um país de longevos. Mas até que ponto o Brasil está preparado para receber o consumidor - e a consumidora - da Terceira Idade? 
Segundo a reportagem de Cláudia Rolli publicada na Folha deste domingo, os consumidores com mais  de 60 anos devem movimentar neste ano R$ 400 bilhões. "O valor, equivalente ao PIB da Irlanda, é 45% maior do que há cinco anos". Mesmo assim, ainda segundo a matéria, só recentemente o comércio começou a se preocupar com a Terceira Idade. Veja o que diz a matéria:
"Sete em cada dez aposentados têm renda mensal garantida pela Previdência Social. Ou seja 73,5% dos rendimentos desses consumidores mais velhos (ou R$ 295,6 bilhões) vêm de aposentadorias e pensões concedidas pelo INSS. Somente 20% da renda deles depende da relação com o mercado de trabalho".

Vi que o Ministério do Turismo tem um programa que se chama Viaja Mais Melhor Idade, para facilitar e estimular brasileir@s acima de 60 anos a viajar pelo país na baixa ocupação. Segundo o site, o programa existe desde 2007, com a organização e a comercialização de pacotes customizados para a terceira idade, além da concessão de uma linha de crédito para estimular as viagens desse segmento da população brasileira. Ainda segundo o site do Ministério do Turismo:
"Em 2010, conforme o manual de requisitos do Viaja Mais Melhor Idade, nove operadoras de turismo trabalharam aderidas ao programa, e aproximadamente 2 mil agências cadastradas. Segundo o balanço 2012 do Programa, mais de 2 mil meios de hospedagem estavam disponíveis em 588 cidades brasileiras colocando à disposição do público mais de 217 mil leitos. As diárias médias de 2012 ficaram cotadas em R$ 98,07 (solteiro) e R$ 114,56 (casal). Já o preço médio dos pacotes ficou em torno de R$ 950.

Segundo pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo, durante o Salão do Turismo (2011) em São Paulo, com amostra de 472 entrevistados acima de 60 anos, mostra que:

  •  46% preferem viajar de avião e 35% de ônibus;
  •  76% hospedam-se em hotel ou pousada durante as viagens;
  •  mais de 60% viajam com os familiares;
  •  cerca de 45% organizam a própria viagem e 23% contam com agências de viagens;
  •  mais da metade viaja de uma a duas vezes por ano;
  •  metade  considera o Nordeste como a região preferida para viagens.
  •  46% preferem viajar na baixa temporada e 34,5% em qualquer época do ano;
  • dentre os incentivos desejados para viajar a lazer, estão: o preço das tarifas aéreas/rodoviárias, o preço da hospedagem e os pacotes melhor organizados.
Fortaleza (roteirocearauol.com.br)

Ainda segundo o site do Ministério do Turismo, Fortaleza está em primeiro lugar nas cidades procuradas pela Terceira Idade, seguida de Fernando Noronha, Natal, Serra Gaúcha, Maceió, Salvador, Lençois Maranhenses, Bonito, Belém e em 10°lugar, a cidade de Recife.
Infelizmente o programa está em fase de reformulação e não tem outras novidades pra gente contar por aqui.
De qualquer forma, é bom lembrar que com o aumento da expectativa de vida, com a facilidade de crédito e outras vantagens para pessoas com mais de 60 anos, viajar e conhecer o país, passou a ser uma tendência que a economia já vem considerando e parece estar atenta aos números. Mas é preciso que o mercado esteja preparado para esse tipo de turismo, que requer algumas necessidades especiais. 
A reportagem sobre Pousadas do Ceará se adaptam para receber turistas da terceira idade, mostra como é importante oferecer desde um cardápio diferenciado, que inclua alimentos saudáveis e com baixo teor de gordura, até questões ligadas à infra-estrutura como rampas de acesso, banheiros adaptados, corrimão, de modo a oferecer segurança e conforto para as pessoas da chamada terceira idade.
Como podemos ver, já se foi o tempo em que envelhecer era sinônimo de passar o dia de pijamas, jogando dominó ou fazendo trabalhos manuais e à espera da visita dominical dos netos e netas. 



Leia mais:
Terceira Idade: um senhor mercado que não para de crescer
O turismo e a terceira idade

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Soneto Antigo - Cecília Meireles


Cecília Meireles (Imagem: Google)



SONETO ANTIGO

Responder a perguntas não respondo. 
Perguntas impossíveis não pergunto. 
Só do que sei de mim aos outros conto:
de mim, atravessada pelo mundo.

Toda a minha experiência, o meu estudo,
sou eu mesma que, em solidão paciente,
recolho do que em mim observo e escuto
muda lição, que ninguém mais entende.

O que sou vale mais do que o meu canto.
Apenas em linguagem vou dizendo
caminhos invisíveis por onde ando. 

Tudo é secreto e de remoto exemplo.
Todos ouvimos, longe, o apelo do Anjo.
E todos somos pura flor de vento.

sábado, 19 de maio de 2012

Ser jovem ou ser velho é também um estado de espírito

Segundo matéria na noticiasuol.com.br uma japonesa de 73 anos de idade, estabeleceu um novo recorde mundial ao subir os 8.848 metros do Everest, feito que ela já tinha experimentado aos 63 anos.
No começo do mês, uma outra notícia de "recorde" batido por idosa chama a atenção. A escocesa Peggy McAlpine de 104 anos de idade entra novamente para o Guiness por ser a mulher mais velha a voar de parapente.
O que chama a atenção na minha opinião, é como essas velhinhas estão ou parecem estar felizes.
As declarações dadas por elas, são de uma vivacidade impressionante. 
Saúde, lucidez e felicidade: como reunir esse tripé mesmo depois de tantos anos vividos parece ser um grande desafio. 
Tenho acompanhado algumas amigas minhas que cuidam de suas mães e, muitas vezes da sogra, contando sobre o modo de vida, a rotina de muitas delas e sempre fico muito admirada. O uso da internet é uma constante nessas conversas: muitos aprenderam a usar a internet já na Terceira Idade e os motivos são os mais variados: navegar, ler as notícias e até para falar com os netos e as netas. 


Terceira Idade,internet,idosos


Veja o que diz a matéria: Quais são os hábitos da Terceira Idade na Internet?, de Leticia Alasse:

São grandes usuários de serviços online e passam, em média, quatro horas e 11 minutos conectados ao mundo virtual aos fins de semana. Pode não parecer, mas estas características representam os hábitos dos internautas da terceira idade no Brasil. Em comparação à quantidade de horas na internet, segundo o QualiBest, estes internautas navegam apenas 40 minutos menos que os jovens e o número de homens conectados é 30% maior do que o de mulheres.
Em outro trecho, a mesma matéria fala sobre o perfil dos internautas após os 60 anos de idade e mostra que:
Os homens são mais ativos do que as mulheres no meio digital neste período da vida. Segundo a pesquisa do QualiBest, o sexo masculino representa 65% dos usuários acima de 60 anos, apesar delas serem maioria no país. No total, o número de idosos no Brasil corresponde a 57% de mulheres e 43% de homens. Elas, por sua vez, são as que mais utilizam as ferramentas de bate-papo, como Skype e MSN, e redes sociais.
Um outro link da mesma matéria, fala sobre os novos hábitos de uma população que envelhece e alerta sobre alguns setores do mercado que ainda não dirige sua atenção para as pessoas com mais de 60 anos. É o caso do mercado de entretenimento.
Expectativa de vida cresce
Desde 1980, o brasileiro viu a expectativa de vida crescer 10,7 anos e, até 2050, tudo indica que a população estará vivendo, em média, 81 anos. Sem falar que os indivíduos com mais de 60 anos devem chegar a 64 milhões ainda na metade do século. Por isso, é bom que as marcas não percam tempo, redirecionem o olhar para este público e repensem a maneira de agir.

“A população madura tem novos hábitos e atitudes, completamente diferentes do que se fala da terceira idade. São pessoas mais ativas, otimistas em relação ao futuro, funcionais e, principalmente, independentes. Uma pessoa com 70 anos há três, quatro décadas, se preparava para os seus últimos dias. Hoje, ela faz planos para o futuro. O mercado está diante de grandes oportunidades a serem satisfeitas para esse público”, diz Arthur O'Leary Jr, Diretor Geral da Brasil Data Senior, em entrevista ao Mundo do Marketing. 
De tudo isso, fica um alerta, como bem colocado por uma das matérias aqui comentadas: senhores e senhoras publicitárias. Cuidado com o que vão dizer e como vão tratar as pessoas com mais de 60 anos nos comerciais e nas peças publicitárias. Essas pessoas não querem ser tratadas como especiais e não querem se sentir velhas. 
Ser jovem ou ser velho, lembremos, é também um estado de espírito. 


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Feliz aniversário, Roberto!

Os meus primeiros namoros e paixões tinham a trilha sonora do Rei Roberto Carlos. Impossível esquecer. Feliz aniversário, Roberto!




sábado, 7 de abril de 2012

No botox

Essa semana li uma matéria sobre comércio ilegal de botox. A Polícia Federal e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) prendeu sete pessoas na Operação Narke, envolvendo oito estados do Brasil. Gente presa em flagrante em Minas Gerais, Paraíba e Pernambuco por comercialização clandestina de toxina botulínica, conhecida como "botox", usada para tratamentos estéticos e de saúde. Também há médicos e outros profissionais de saúde que faziam uso dos produtos ilícitos. A notícia toda é chocante demais. 
O botox é extraído da bactéria Clostridium Botulinum, que é encontrado no veneno das cobras. A aplicação de botox é um dos tratamentos mais procurados no combate às rugas e marcas de expressão. Essa substância provoca uma paralisação no músculo, no local onde é aplicada e faz a pele ficar mais lisa e com menos ruga. Quando há exagero no uso da substância o resultado pode passar de milagroso para desastroso, deixando uma aparência artificial e uma face sem expressão. Dá uma olhada:

Meg Ryan


Cher
Pois é. Falta de expressão. Aparência artificial. Mas isso acontece também com os homens que cada vez mais aderem ao uso do botox e muitas vezes  carregam na mão em busca de rejuvenescimento, de uma aparência mais jovem e para fugir das rugas. Eu acho um horror uma expressão esticada, um sorriso "armado" e a completa ausência de rugas de expressão, seja em homem ou mulher. Mas para quem gosta, para quem quer fazer uso dessa substância o importante é saber a origem, certificar-se que se trata de um bom (ou boa) e respeitad@ profissional.

Segundo as investigações da Operação Narke, a toxina botulínica clandestina estava no mercado há pelo menos cinco anos. Produtos ilícitos e até falsificados podem estar circulando no mercado, o que representa um perigo enorme. Veja o que diz a matéria:
"Nos exames, os peritos notaram diferenças nas fórmulas entre as toxinas ilegais e as legais. Ao todo, cinco produtos têm a autorização da Anvisa para serem comercializados: Dysport, Botox, Prosigne, Botulift e Xeomin. O gerente da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Jaime Brito, recomenda que os pacientes verifiquem a procedência da substância antes de se submeter ao procedimento".

Portanto, se vai fazer um tratamento de rejuvenescimento que inclui a aplicação de botox, preste bem atenção. Vai lá no link da Anvisa, anota as informações e só comece o tratamento se estiver se sentindo segura - ou seguro. 


 
                                Mick Jagger: No botox


Suely Oliveira: No botox
Leia mais:
site da Anvisa
Diário de Pernambuco
Antes e Depois
Famosas que exageram no botox

Assista:
operação "botox"

terça-feira, 27 de março de 2012

Madonna - uma cinquentona

Madonna (Foto: revista QUEM)
A cantora pop apareceu de surpresa no Ultra Music Festival, em Miami, Flórida, no último dia 24 para apresentar um remix do seu novo single, "Girls Gone Wild". O figurino de Madonna como na maioria das vezes era ousado e deixava aparecer partes do seu corpo.
O jornal inglês "Daily Mail" criticou e foi seguido por vários outros que reproduziram as críticas. Quais? Que Madonna usava os cabelos longos para esconder o pescoço e usava luvas para esconder as mãos. Em outras palavras, Madonna estava escondendo as rugas, a velhice. E que a roupa deixava aparecer o bumbum. Que está "na hora" de deixar de usar meia arrastão. Tudo isso, como sabemos, porque Madonna é uma cinquentona. E mulheres de uma certa idade devem ser recatadas e sóbrias no vestir e no comportamento. Tudo invenção de uma sociedade machista. Tudo fruto de uma sociedade que valoriza a juventude e ainda menospreza a velhice, apesar da longevidade presente em muitos países, entre eles o Brasil.
Madonna já vendeu mais de trezentos milhões de discos no mundo inteiro. Segundo a enciclopédia livre, ela é reconhecida como a artista musical feminina mais bem sucedida de todos os tempos pelo Guinesse World Records. Depois de Barbra Streisand é a cantora que mais vende nos Estados Unidos. É considerada uma das melhores artistas de todos os tempos.
E, no entanto, tudo o que o tal jornal inglês consegue falar é de sua bunda e de sua idade. 
Madonna continua linda. E a mídia continua cruel com as mulheres, especialmente com aquelas que passaram dos "enta". Quarenta. Cinquenta. Sessenta...



Madonna recebe críticas afiadas por causa da forma física

sábado, 24 de março de 2012

Muito prazer!

cabaredasideias.com

O tema dos brinquedinhos eróticos de vez em quando volta no blog, seja quando a conversa tem a ver com masturbação, como aqui ou quando o papo é sobre orgasmo
O fato é que vibradores muitas vezes fazem a festa, seja para alimentar a fantasia ou quebrar a rotina de casais ou simplesmente para uma divertida masturbação. 
Essa semana passeando pela internet vi uma matéria no jornal O Diário de Notícias, um periódico de Portugal, sobre um estudo com 3.800 mulheres com idade entre 18 e 68 anos que mostra que a utilização do vibrador promove comportamentos saudáveis e aumenta a cumplicidade entre casais. 
Segundo o link a pesquisa foi publicada no "Journal of Sexual Medicine" e é um estudo de Debra Herbenick, do Centro de Promoção da Saúde Sexual da Universidade de Indiana (Estados Unidos) e conclui que 52% das mulheres entrevistadas admitem já ter usado um vibrador. Dessas, 83% usam o vibrador para estimular o clitóris; 64%  fazem uso do vibrador no interior da vagina.

Entre os dias 22 e 25 de março está acontecendo a 19a edição da Erotika Fair no Paláco do Centro de Convenções do Anhembi, na cidade de São Paulo. Ao que parece é uma grande feira - segundo alguns sites é o maior encontro de negócios do mercado erótico latino e a quarta maior feira do mundo. Eles oferecem de um tudo e esse ano foram destaques as aulas de pompoarismo, dança do ventre e pole dance.
Imagem:Google
Fiquei bastante curiosa, sobretudo, pensando como deve ter sido as aulas de pompoarismo - essa milenar técnica oriental que consiste em contrair e relaxar os músculos vaginais, com a finalidade de obter o prazer sexual. Muito conhecida, as bolinhas tailandesas são usadas para praticar o pompoarismo e obter o domínio da técnica.
É bem recomendada para fortalecer a musculatura do períneo e algumas parteiras falam que ajuda na preparação do canal para o momento do parto. Não sei. Mas se eu estivesse na Erotika juro que ia procurar saber sobre todas as novidades, tirar algumas dúvidas, não somente sobre o pompoarismo, claro.

Uma outra matéria diz que as mulheres são a maioria dos consumidores de produtos sensuais tanto nas lojas físicas como na internet. Elas chegam a atingir o patamar de 68% das compras. E o mais curioso. Veja o que diz a reportagem: "É na venda de produtos eróticos por catálogo que as mulheres se encontraram e consomem sem medo: são 90% dos consumidores, que compram vibradores, cosméticos, lingeries e acessórios. Se engana quem pensa que as compradoras são as mulheres em busca de prazer solitário ou "sacanagem". A pesquisa indica que 84% das consumidoras são casadas ou namoram, e a grande maioria delas, 81%, está no mesmo relacionamento há três anos ou mais. Compram produtos eróticos para comemorar uma data especial com o parceiro, para surpreende-lo ou simplesmente para agradá-lo".

Mesmo assim, é bom que se diga: o vibrador pode ser usado com o parceiro, com a namorada ou se quiser, sozinha. Entre os produtos eróticos você pode escolher gel ou creme estimulante, gel ou creme para sexo oral, lubrificante e os mais diversos tipos de vibrador. Escolha o que mais lhe agrada e boa sorte!

Mulheres lideram o consumo de produtos eróticos no Brasil
De gel a vibrador de ouro

sábado, 10 de março de 2012

Um Tempo Sem Nome

A crônica a seguir foi escrita por Rosiska Darcy de Oliveira e publicada originalmente no jornal O Globo em 21/01/12. Tem muito a ver com as reflexões que fazemos por aqui. Fala sobre novas e modernas formas de envelhecer. A conferir. 

Um Tempo Sem Nome

Com seu cabelo cinza, rugas novas e os mesmos olhos verdes, cantando madrigais para a moça de cabelo de abóbora, Chico Buarque de Holanda vai bater de frente com as patrulhas do senso comum. 
Elas torcem o nariz para mais essa audácia do trovador. O casal cinza e cor de abóbora segue seu caminho e tomara que ele continue cantando "eu sou tão feliz com ela" sem encontrar resposta ao "que será que dá dentro da gente que não devia".

Afinal, é o olhar estrangeiro que nos faz estrangeiros a nós mesmos e cria os interditos que balizam o que supostamente é ou deixa de ser adequado a uma faixa etária. O olhar alheio é mais cruel que a decadência das formas. É ele que mina a autoimagem, que nos constitui como velhos, desconhece e, de certa forma, proíbe a verdade de um corpo sujeito à impiedade dos anos sem que envelheça o alumbramento diante da vida.

Proust, que de gente entendia como ninguém, descreve o envelhecer como o mais abstrato dos sentimentos humanos. O príncipe Fabrizio Salinas, o Leopardo criado por Tommasi di Lampedusa, não ouvia o barulho dos grãos de areia que escorrem na ampulheta. Não fora o entorno e seus espelhos, netos que nascem, amigos que morrem, não fosse o tempo "um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho", segundo Caetano, quem por si mesmo, se perceberia envelhecer? Morreríamos nos acreditando jovens como sempre fomos.

A vida sobrepõe uma série de experiências que não se anulam, ao contrário, se mesclam e compõem uma identidade. O idoso não anula dentro de si a criança e o adolescente, todos reais e atuais, fantasmas saudosos de um corpo que os acolhia, hoje inquilinos de uma pele em que não se reconhecem. E, se é verdade que o envelhecer é um fato e uma foto, é também verdade que quem não se reconhece na foto, se reconhece na memória e no frescor das emoções que persistem. É assim que, vulcânica, a adolescência pode brotar em um homem ou mulher de meia-idade, fazendo projetos que mal cabem em uma vida inteira.

Essa doce liberdade de se reinventar a cada dia poderia prescindir do esforço patético de camuflar com cirurgias de botoxes - obras na casa demolida - a inexorável escultura do tempo. O medo pânico de envelhecer, que fez da cirurgia estética um próspero campo da medicina e de uma vendedora de cosméticos a mais rica mulher do mundo, se explica justamente pela depreciação cultural e social que o avançar na idade provoca.

Ninguém quer parecer idoso, já que ser idoso está associado a uma sequência de perdas que começam com a da beleza e a da saúde. Verdadeira até então, essa depreciação vai sendo desmedida por uma saudável evolução das mentalidades: a velhice não é mais o que era antes. Nem é mais quando era antes. Os dois ritos de passagem que a anunciavam, o fim do trabalho e da libido, estão ambos, perdendo autoridade. Quem se aposenta continua a viver em um mundo irreconhecível que propõe novos interesses e atividades. A curiosidade se aguça na medida em que se é desafiado por bem mais que o tradicional choque de gerações com seus conflitos e desentendimentos. Uma verdadeira mudança de era nos leva de roldão, oferecendo-nos ao mesmo tempo o privilégio e o susto de dela participar.

A libido, seja por uma maior liberalização dos costumes, seja por progressos da medicina, reclama seus direitos na terceira idade com uma naturalidade que em outros tempos já foi chamada de despudor. Esmaece a fronteira entre as fases da vida. É o conceito de velhice que envelhece. Envelhecer como sinônimo de decadência deixou de ser uma profecia que se autorrealiza. Sem, no entanto, impedir a lucidez sobre o desfecho. 

"Meu tempo é curto e o tempo dela sobra", lamenta-se o trovador, que não ignora a traição que nosso corpo nos reserva. Nosso melhor amigo, que conhecemos melhor que nossa própria alma, companheiro dos maiores prazeres, um dia nos trairá, adverte o imperador Adriano em suas memórias escritas por Marguerite Yourcecar.

Todos os corpos são traidores. Essa traição, incontornável, que não é segredo para ninguém, não justifica transformar nossos dias em sala de espera, espectadores conformados e passivos da degradação das células e dos projetos de futuro, aguardando o dia da traição. Chico, à beira dos setenta anos, criando com brilho, ora literatura, ora música, cantando um novo amor, é a quintessência desse fenômeno, um tempo da vida que não se parece em nada com o que um dia se chamou de velhice. Esse tempo ainda não encontrou seu nome. Por enquanto podemos chamá-lo apenas de vida.

Rosiska Darcy de Oliveira é escritora.

O novo amor de Chico a que Rosiska se refere no texto é a cantora Thais Gulin, que aparece na música Essa Pequena, como você pode verificar:


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

É frevo.

Foto: Google imagem
O carnaval me enche de melancolia, de lembranças e de saudade. Da infância. De um tempo que passou. De amores vividos. Não sei bem. Quando eu era criança, a minha mãe ligava a nossa vitrola igualzinha a da foto ao lado, todos os dias de carnaval. Eu ficava sempre por perto, geralmente sentada no sofá com a capa do vinil na mão. Eu amava aquilo, mas era de uma tristeza profunda. Às vezes ela chorava. Eu não entendia direito. Mas quando cresci entendi rapidinho. As letras das músicas são saudosistas demais. Melancólicas demais. É saudade o tempo todo. Soma-se a isso a melodia e a musicalidade do frevo canção e do frevo de bloco, igualmente nostálgicas. Sem contar as inúmeras vezes que a palavra chorar aparece nas músicas da festa que é o símbolo da alegria. Compositores como Nelson Ferreira, Capiba, Aldemar Paiva, Antônio Maria, Getúlio Cavalcanti, J.Michilis e a compositora Fátima de Castro que o digam. E o mais incrível é que muitos desses compositores foram (ou são) animados foliões.
O primeiro sucesso de Capiba, É de amargar, conta a história de um amor mal sucedido, cujo autor parece disfarçar a tristeza falando de um novo amor que pode estar surgindo. Com essa música composta em 1934, Capiba foi vencedor de um festival de música carnavalesca. Segundo José Teles, o mais triste é que essa música foi composta sob forte impacto: a morte prematura de Sebastião, o irmão mais velho de Capiba:
"Eu bem sabia que esse amor um dia
Também tinha seu fim esta vida é mesmo assim
Não penses que estou triste nem que vou chorar
Eu vou cair no frevo que é de amargar".

Mesmo quando Manda embora essa tristeza, Capiba alimenta a própria saudade, com frases como:
"Tu pensas que eu levo de inverno a verão
A dançar e cantar com o meu violão
Mas, na verdade, te digo, afinal!
Eu só faço isso pelo carnaval".

Um amor que se foi. Um amor que não chegou. Solidão, choro e saudade. É a tônica dessas músicas.
É assim em Os melhores dias de minha vida:
"Eu fiquei chorando quando foste embora,
quem sente saudade é quem chora".

E segue na tristeza em
"A dor de uma saudade vive sempre em meu coração
ao relembrar alguém, deixando a recordação
Nunca mais hão de voltar os tempos felizes que passei em outros carnavais".

E,
"Quem tem saudade não está sozinho
Tem o carinho da recordação
Por isso quando estou mais isolado
Estou bem acompanhado com você no coração".

Galo da Madrugada (Imagem: Google) 
E tem as que lembram um carnaval de passado recente, como o hino do Galo da Madrugada:
"Acorda, Recife, Acorda
Que já é hora de está de pé
Levanta, o carnaval começou no bairro de São José

Vem, vem meninada,
vem conhecer o Galo da Madrugada

O Galo vai desfilando com beleza e harmonia
O Enéas comandando
E mostrando a alegria de um carnaval
Que basta brincar um dia

Vem, vem meninada
Vem conhecer o Galo da Madrugada

Se você desfilar esse ano
nunca mais vai esquecer a Padre Floriano
E no bairro de São José o Galo é quem vai cantar
E o Galo é quem vai mandar".


Em O Recife manhã de sol, é saudosismo a música inteira, de um Recife que não existe mais. Ou existe apenas nas lembranças do compositor J. Michilis:
"Vejo o Recife prateado
À luz da lua que surgiu
Há um poema dos namorados
No céu e nas águas dos rios

Um seresteiro e um violão
Anunciando o amanhecer
Recife inteiro vai render
Ave-Maria ao pé do altar

Bumba-meu boi, Maracatu
Recife dos meus carnavais
Não vejo mais sinhá mocinha
À luz de um lampião de gás

És primavera dos amores
Do horizonte és arrebol
Vai madrugada serena
Traz delirante poema
Recife manhã de sol".

E quando eu ficava o carnaval fora de Recife - muitas vezes eu ia à Campina Grande, na Paraíba - aí a saudade doía. E em qualquer tempo ouvir o Frevo número 1, de Antônio Maria dá vontade de chorar, 'uma saudade tão grande que eu até me embaraço. Recife está perto de mim'.




No Último regresso, Getúlio Cavalcanti é  pura despedida, recolhimento, adeus.
"No regresso de não mais voltar, suas pastoras vão pedir
Não deixem, não que um bloco campeão
Guarde no peito a dor de não mais cantar.
Um bloco a mais é o sonho que se faz
O pastoril da vida singular".

Em Sonhos de Capiba, abre-se o baú da recordação de músicas antigas e até fala em "manda embora essa tristeza, que hoje é carnaval", mas a tônica segue sendo a própria tristeza e as lembranças.
"Se esse sonho fosse realidade, eu queria matar a saudade ouvindo outras canções".

E ainda tem aquelas que evocam saudade, mesmo que a palavra não seja pronunciada. Ela vem na melodia, no ritmo que é choroso, que é saudoso como em Evocação número1, de Nelson Ferreira:
"E o Recife adormecia e ficava a sonhar, ao som da triste melodia".

E pra finalizar, o chororô da quarta-feira de cinzas:
É de fazer chorar - Eddie
Arquivo pessoal
Agora, enquanto não chega a quarta-feira ingrata, vamos aproveitar o máximo e brincar o carnaval 2012 que promete ser de chuva. Bom carnaval!

Leia mais e escute:
Principais compositores pernambucanos
Capiba: 25 anos de frevo
12 músicas de Capiba e Nelson Ferreira - 25 anos de frevo

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Coroas

Imagem: Google
O carnaval em Recife e Olinda já começou desde os primeiros dias de janeiro, embora algumas pessoas assegurem que desde dezembro participam de ensaio de blocos. Não duvido. Mas o fato é que todo final de semana a programação carnavalesca é vasta e variada e quem passa pelas duas cidades tem a oportunidade de conhecer, ouvir e dançar os melhores frevos. São as prévias de carnaval e todo bloco que se preza organiza a sua. Tem os mais tradicionais, como o Homem da Meia-Noite que comemorou com festa e muita animação os seus 80 anos no dia 02 de fevereiro. E que esse ano será homenageado no Galo da Madrugada, no sábado de Zé Pereira. Aliás, o que não falta esse ano é homenagem ao famoso calunga de Olinda. A Troça Carnavalesca Ceroulas de Olinda que existe desde 1962 e que esse ano comemora seus 50 anos,  realizou sua prévia no domingo 8 de janeiro na cidade histórica. Como todos sabem,  durante muitos anos o Ceroulas não permitia que as mulheres  participassem dos seus desfiles. É por isso ainda considerado um dos blocos mais machistas do carnaval pernambucano. Mas eles não estão nem aí. 
Há também o igualmente famoso bloco Nem Sempre Lili Toca Flauta, que se concentra no Mercado da Boa Vista e que muitas vezes nem chega a sair em desfile pelas ruas do Recife. Não tem problema. Ali mesmo no  Mercado todo mundo faz a festa. É assim desde 1989, quando o bloco foi criado.
Mercado da Boa Vista (Foto: arquivo pessoal)
Mas tem também os blocos que contabilizam dois anos de vida com muita animação e irreverência. É o caso do Coroas de Aço Inox, que fez hoje a sua prévia no bairro do Hipódromo. O bloco "tira onda" com a idade dos fundadores e participantes, mas é também uma forma de brincar com os estereótipos e preconceitos do envelhecimento.  Esse ano Ana Paula Portela foi homenageada como rainha do bloco, título recebido com muita alegria e comemoração, como mostra a fotografia:
Ana Paula (Foto: arquivo pessoal)
Para o site  www.leiaja.com ela deu a seguinte declaração: "Eles são inoxidáveis porque envelhecem sem perder o pique e são animados e assumem a coroíce com uma coisa boa". É isso mesmo, Ana Paula!


Coroas de Aço Inox (Foto: Arquivo pessoal)
Como você pode ver, tem ainda muito ensaio de bloco, muita prévia e muita animação antes e durante o carnaval de Recife e Olinda. Há ainda os que tem fôlego até para depois do carnaval, porque na quarta-feira de Cinzas tem o Bacalhau do Batata, descendo com tudo pelas ladeiras de Olinda. E cada ano surgem novos blocos, tentando prolongar a festa de cores, sons e fantasias que alegra e mexe com a imaginação de quem ama o carnaval. O que importa é curtir muito as manifestações da cultura popular do carnaval de Pernambuco. 
Neste post foram citados apenas alguns. Vale a pena dar uma olhada na programação nos jornais dos finais de semana. Tem para todo gosto e idade. Aproveite. E agora, para finalizar, deixo o hino de Lily (Nem sempre Lily toca flauta):


Leia mais: